Kilt


 Quem leu os meus posts sobre minha viagem a São Paulo, deve se lembrar de que mencionei um brechó chamado Volta ao Mundo, localizado no bairro de Perdizes. Eu comprei três coisas ali por um preço incrível: uma bolsinha, uma blusa e... um kilt. Sim, um kilt. Para falar a verdade, eu não percebi na hora que era um kilt, só depois que cheguei em casa que olhei melhor e percebi o que havia comprado realmente.

História



  Apesar de reconhecermos a peça como escocesa, acredita-se que ela tenha, na verdade, origem irlandesa. Outra corrente diz datar o primeiro kilt em 2000 a.C. e foi achado na Alemanha, trazido pelo povo celta. De uma maneira ou outra, a peça foi muito importante e presente na história da Escócia.

 Em torno do século XII, apareceram os primeiros registros do uso do kilt, feito de lã e com padrão xadrez (chamado de tartan). Numa era ainda com marcas do feudalismo e com constates conflitos no país, surgiu o uso do kilt para a identificação de Clãs. Mas o que é um Clã? Se você prestou atenção na escola, deve se lembrar do tratado do servo com o senhor feudal, o Clã é exatamente isso. Os homens ofereciam serviços militares em troca de segurança e um pedaço de terra. Agora vem a pequena diferença do feudalismo: os tais servos do Clã deveriam usar o padrão estabelecido pelo seu senhor (ou Chief) em seus kilts.

Características


 O que faz um kilt ser um kilt é o seu corte. É um saiote pregado na parte de trás, trespassado na parte da frente, no comprimento da cintura da cintura até o joelho. Por ser uma peça masculina, tradicionalmente, não se usa cueca. O kilt não necessita de padronagem tartan ou ser feito de lã.

Meu kilt e outras questões



 Na minha escola, todo mês há um simulado de vestibular. Em uma dessas vezes que fiz, o tema da redação foi sobre a ideia de "roupa de homem e roupa de mulher". Sou do tipo que acredita que todos podem usar o que quiserem, uma roupa não muda seu gênero. Como argumento, usei o kilt para mostrar que uma saia pode ser para homem. Até aí tudo bem, certo? Mas eu não tinha pensado "e se uma mulher usasse um kilt?", e o engraçado, é que isso soa muito estranho. Roupas consideradas para homens geralmente são calça, terno, blusa, bermuda, e tudo isso existe para o mundo feminino, mas com um corte e aparência diferente. Aí pensamos na questão da saia, que pelos padrões da nossa sociedade, é uma peça exclusivamente feminina. Mas e os kilts? Costumamos pensar que estão na Escócia e lá ficaram. Usamos o kilt para uma ideia de "homem também pode usar saia", mas e mulher também pode usar kilt? Na primeira vez que usei meu kilt, minha mãe levou um susto e gritou "Como assim você vai sair com roupa de homem?", foi aí que percebi o que estava fazendo. De qualquer modo, nada vai me impedir de usar o meu kilt, eu amei ele. 


3 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...