Psychobilly


 Eu já falei sobre o Rockabilly aqui, e agora está na hora de um post sobre uma variação desse estilo: o Psychobilly. De básico, tudo é inspirado nos anos 50 com um quê moderno, então qual a novidade? O psychobilly é inspirado em filmes e coisas de terror, misturando com assuntos de violência e sexualidade.


 Como começou o psychobilly?
 É uma história contraditória. A palavra mesmo, veio de uma música do Johnny Cash, One Piece at Time. A primeira banda alguns dizem ser The Cramps, mas os integrantes sempre se rejeitaram a ideia de serem parte desse cenário. Então a origem oficial do estilo musical/da roupa pertence à banda The Meteors (que inclusive tem uma lista de álbuns gigante) e ao cantor Screamin' Jay Hawkins. Desde então surgiram muitas outras.


 Musicalmente, é um pouco mais rápido que o rockabilly e também mistura um pouco de punk. Todas as músicas são de assuntos macabros, como um amor que morreu, ou até mesmo matou você! Eu sou muito fã de uma banda mais atual chamada The Creepshow, é muito boa e todas as músicas são inspiradas em histórias/filmes de terror/suspense. Um exemplo disso é a música Rue Morgue Radio, inspirado no famoso conto Os Assassinatos da Rue Morgue (dependendo da tradução) do maravilhoso escritor Edgar Allan Poe.

As Diabatz
 O Brasil também tem bandas psychobillies, sabia? São muito poucas, mas se você pesquisar, pode encontrar algumas muito boas. Pessoalmente, eu gosto da As Diabatz.


 Agora vamos falar no estilo de se vestir. Como eu disse, deriva do rockabilly, então é tudo meio anos 50, mas misturado com punk, preto e coisas de terror. Para as garotas, laços com olhos, presilhas de ossinhos, vestidos rodados com estampas macabras, cabelos ondulados, a famosa franjinha Bettie Page, saltos, óculos de gatinho, cabelos coloridos e maquiagem de olho de gatinho são os mais comuns. Para os garotos, topetes no estilo único do psychobilly (alguns com mecha), correntes, preto e muito preto, creppers e tatuagens também são muito comuns. É lógico que se você se interessar, não precisa ser como eu descrevi, só falei do que é mais comum encontrar.

The Cramps

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...